Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Ações sócio-ambientais em área de assentamento serão discutidas em Itaporanga

Pesquisadores, técnicos e trabalhadores rurais do assentamento Darcy Ribeiro, no município de Itaporanga D’Ajuda, se reúnem nesta quinta-feira, 12, para discutir ações de caráter sócio-ambiental.
10 de Abril de 2007 | 23:56

Texto: Gislene Alencar/Embrapa Tabuleiros Costeiros

Pesquisadores, técnicos e trabalhadores rurais do assentamento Darcy Ribeiro, no município de Itaporanga D’Ajuda, se reúnem nesta quinta-feira, 12, para discutir ações de caráter sócio-ambiental. O evento faz parte das ações do projeto “Gestão Ambiental na Reserva do Caju”, desenvolvido pela Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju – SE), unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em parceria com diversas instituições. Participam desta ação específica a Embrapa Tabuleiros Costeiros, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente, o Ibama, a Universidade Federal de Sergipe (UFS), o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e representantes locais.

A reunião começa às 9h e acontece na área do assentamento. Na programação estão previstos a realização do diagnóstico preliminar do assentamento Darcy Ribeiro, o mapeamento e projeção de imagem do local e a identificação de elementos que possam contribuir no planejamento de ações produtivas a serem adotadas pelos assentados. Segundo o pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros Fernando Curado, a caracterização sócio-ambiental é necessária para o processo de implantação da agrovila na área do assentamento e para o planejamento produtivo. 

“Para isso é necessário reduzir os impactos negativos à vegetação e identificar ações mitigadoras. O resultado deste trabalho deverá subsidiar o futuro Plano de Desenvolvimento do Assentamento (PDA), que é um instrumento que reúne as atividades produtivas a serem executadas pelos agricultores assentados nos próximos anos”, explica o pesquisador. 

O projeto “Gestão Ambiental do Caju” iniciou em 2006 e será executado em três anos. O projeto propõe a caracterização da realidade sócio-econômica e ambiental e a capacitação da comunidade para uma participação mais efetiva na identificação de problemas e na tomada de decisões que otimizem a qualidade de vida das populações e a produtividade dos ecossistemas.