Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Prêmio ODM Brasil reconhece e valoriza ações da sociedade civil e governos municipais

O evento contou com o apoio do Governo do Estado
15 de Julho de 2013 | 09:05

Representantes e gestores municipais das áreas de saúde, assistência social, educação e outros setores estiveram reunidos no dia 12 de julho, no auditório da Associação de Engenheiros Agrônomos de Sergipe (AEASE), em Aracaju, para discutirem durante o seminário de lançamento da 5ª. Edição do Prêmio ODM Brasil - Objetivo do Desenvolvimento do Milênio, as áreas que ainda passam por dificuldades nos diversos municípios de Sergipe. Além disso, os coordenadores do projeto incentivaram as inscrições para o Prêmio ODM.

O evento coordenado pelo Governo Federal, por meio da Secretaria-Geral da Presidência da República, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e pelo Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade conta com o apoio do Governo do Estado de Sergipe tem a finalidade de reconhecer e valorizar projetos bem-sucedidos realizados por prefeituras e organizações sociais que contribuem para o Brasil alcançar as Metas do Milênio.

Para o subsecretário de Estado de Articulação com os Movimentos Sociais e Sindicais, João Francisco dos Santos, o objetivo do governo brasileiro ao criar o Prêmio foi incentivar valorizar e reconhecer publicamente os esforços em favor dos ODM feito pelas prefeituras e organizações da sociedade civil. Os beneficiários diretos desta iniciativa são os municípios e as organizações da sociedade civil (ONGs, empresas, universidades, fundações, entidades empresariais e de trabalhadores) que promovam o alcance dos ODM, cujos esforços são reconhecidos por meio da premiação.

Segundo o subsecretário, o evento significa um grande avanço do Brasil diante das metas estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) por meio dos objetivos do Desenvolvimento do Milênio. “O Brasil pretende bater todas as metas até o ano que vem e isso já está acontecendo em algumas regiões e o mais importante é que o Estado de Sergipe tem uma significativa participação”, adiantou. Esse trabalho no Estado ressaltou Francisco, foi realizado no social na área de educação, saúde através da diminuição da mortalidade infantil.

O governo, afirmou o Subsecretário, conseguiu tirar da pobreza absoluta mais de 216 famílias. “Nós temos uma população de dois milhões de habitantes e a pobreza absoluta foi erradicada em quase a metade dessa população através de programas sociais desenvolvidos como a Mão Amiga, Sergipe mais justo, Bolsa família do Governo Federal e o programa do leite. Foram ainda gerados nesse governo, mais de 100 empregos com carteira assinada e o Estado atraiu nos últimos seis anos, várias empresas para a capital e também alguns municípios. Informando que até o dia 02 de agosto, qualquer entidade, as prefeituras, associações, sindicatos, fundações, ONGs e qualquer órgão da sociedade civil pode se inscrever através do meio de endereço eletrônico www.odmbrasil.gov.br.

De acordo com informações do assessor da Secretaria Nacional de Relações Político-Sociais da Presidência da República, Heiguiberto Guiba, a ONU percebeu as dificuldades nos projetos sociais e propôs a alguns países para fazerem atos que pudessem melhorar as condições de vida, saúde, habitação e outras áreas. Na realidade foram 8 pontos: acabar com a fome e com a miséria; educação básica de qualidade para todos; igualdade entre os sexos e valorização da  mulher; reduzir a mortalidade infantil; melhorar a saúde das gestantes; combater a AIDS, a malária e outras  doenças; qualidade de vida e respeito ao meio ambiente; todo mundo trabalhando para o desenvolvimento a serem cumpridos e o Brasil foi um signatário disso quando em 2004 Lula sugeriu que fossem distribuídos prêmios.

A partir daí, afirmou Guiba, “nossa equipe tem ido aos diversos Estados para divulgar o nosso objetivo e proposta do milênio. Alguns Estados têm criado ‘Nós podemos’ e aqui em Sergipe temos o ‘Nós podemos Sergipe’, que são ações coordenadas por grupos de pessoas voluntárias para que os prefeitos e outras entidades possam trazer suas propostas e sejam engrenagens junto ao Governo Federal no que diz respeito aos 8 pontos determinados”. Para Sergipe e Brasil, é ótimo que as pessoas apresentem propostas e elas sejam reconhecidas não só nacionalmente, mas mundialmente. “O Brasil já bateu todas as metas do milênio e o que acontece é que quando descemos para os Estados alguns não conseguiram e nos municípios as coisas são mais difíceis de serem atingidas porque há uma desigualdade, vamos dizer assim de trabalho e objetivo. Sergipe tem cumprido as metas conquistadas, mas nos municípios ainda tem muito a se fazer”, concluiu.

Presenças

Participaram do evento, o secretário de Estado de Direitos Humanos, Luiz Eduardo
Oliva; representando o governador em exercício, Jackson Barreto, o subsecretário de Estado de Articulação com os Movimentos Sociais e Sindicais, José Francisco dos Santos; a secretária Geral da Presidência da República, Dorian Vaz; o assessor da Secretaria Nacional de Relações Político-Sociais da Presidência, Heiguiberto Guiba; a deputada Estadual, Ana Lúcia; o prefeito de Pedra Mole, João José de Carvalho Neto; a representante do Núcleo ODM Sergipe e representante do Movimento Nacional pela Cidadania e Soliedariedade, Rosane Fontoura; o representante dos Movimentos Sociais, José Valmir dos Santos e representantes dos bancos, do Brasil, Caixa Econômica e Banco do Nordeste do Brasil.