Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

XLIV Simpósio do Encontro Cultural de Laranjeiras celebra a força popular

Grupos folclóricos animaram e emocionaram no primeiro dia do Simpósio
11 de Janeiro de 2019 | 09:35

Com o tema “Cultura Popular: A Resistência é a nossa força”, o XLIV Simpósio do Encontro Cultural de Laranjeiras foi iniciado nessa quinta-feira, 10, às 8h30, no auditório da Universidade Federal de Sergipe (UFS – Campus Laranjeiras). O Simpósio é uma realização da Fundação de Cultura e Arte Aperipê - Funcap.

A abertura do Simpósio foi dirigida pela diretora presidente da Funcap, Conceição Vieira, que destacou a relevância de promover esse simpósio dentro do Encontro Cultural de Laranjeiras para manter viva a cultura e repassá-la para as gerações mais novas. “Esse encontro tem o grande ápice de nos unir em torno da cultura e de fazermos juntos a permanência da reflexão acadêmica, a vivência das práticas culturais, o viver emocional com alegria da execução das mais variadas formas de cultura”, disse.

A manhã foi marcada pela apresentação da banda de pífano e do grupo de São Gonçalo de Laranjeiras, seguido da conferência de abertura realizada por Toninho Macedo, ator e diretor de teatro, doutor em Ciências da Comunicação (ECA/USP) e presidente da comissão paulista de folclore, que abordou o tema do simpósio de forma literária e reflexiva. “Gostaria de compartilhar minha emoção em estar aqui e é um orgulho muito grande ter uma cidade com tantos grupos folclóricos. Até outro tempo nos diziam que resistência era o atraso, aqui a gente tem ela como força”, falou.

A mesa ‘Encontro dos Saberes’, mediada por Antônio Amaral, teve a participação de Beatriz Goís Dantas, antropóloga e pesquisadora nas áreas de religiões afro-brasileiras, etno-história indígena e cultura popular; Bárbara Cristina, graduada em Pedagogia e Mestra do grupo Taieiras de Laranjeiras e Loxa da Irmandade Santa Bárbara das Virgens; Aglaé D’Ávila, professora, escritora, folclorista e historiadora; e Vilma da Conceição, membro do grupo folclórico Reisado de São José, de Japaratuba. 

As participantes explanaram sobre grupos folclóricos com ênfase maior nas Taieiras e no Reisado. Beatriz Góis compartilhou sua vivência na pesquisa sobre as Taieiras de Laranjeiras, realizada em 1969, sobre a qual ela publicou um livro em 1972, intitulado de “A Taieira de Sergipe: uma dança folclórica. Bárbara Cristina relatou um pouco sobre ser taieira e o legado deixado pelas antecessoras dela. Já a professora Aglaé, trouxe seu estudo e conhecimento sobre o Reisado e suas ramificações, onde Vilma aproveitou frisar que foi um belo aprendizado sobre a tradição de um grupo que ela faz parte.

A solenidade de abertura do Simpósio contou com a participação do prefeito de Laranjeiras, Paulo Hagenbeck, a pró- reitora de extensão da UFS, Alaíde Ermínia, o presidente da Funcaju, Cássio Murilo, a superintendente do IPHAN, Catarina Aragão, o presidente do Conselho Estadual de Cultura, Antônio Amaral e o conselheiro do Tribunal de Contas, Clóvis Barbosa, além de estudantes, pesquisadores e comunidade em geral.

O Simpósio é realizado com os recursos do Fundo Estadual de Desenvolvimento Cultural e Artístico (Funcart), aprovado pelo Conselho Estadual de Cultura, e conta com o apoio da  Universidade Federal de Sergipe (UFS), Prefeitura Municipal de Laranjeiras, Instituto Banese, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Sergipe (Iphan-SE), Fundação Nacional de Artes (Funarte), Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGSE).

 

Confira abaixo a programação

Dia 11 – sexta-feira

09h – Mesa: As Pesquisas e o Registro da Cultura Popular
Mediação: Conselho Estadual de Cultura
Participantes: Fernando Sá/UFS -  “O cangaço e a cultura popular”
                           Eliene Benício/UFBA – “A dramaturgia do circo-teatro no Brasil”
                           Gutemberg Costa/IHGRN – “Luiz da Câmara Cascudo e o cordel”

10h30 – Debate

11h30 -  Mesa: Os Mestres e seus saberes: Ato de resistência
Mediação: Fernando Aguiar/UFS
Participantes: Neilton (Grupo São Gonçalo), Antônio (Grupo Cacumbi), Gicelma (Chegança Santa Cruz) e Eldi (Quadrilha Junina)

15h – Pesquisa – Patrimônio vivo e as leis dos mestres, discutindo experiências do Brasil
Coordenação: Fernando Aguiar/UFS
Convidados: Profa. Terezinha Oliva, Mestra Bárbara e Mestre Zé Rolinha
 

  • Medium e02d7835c96833949f8bc2e2ee0b3b4c
  • Medium 273d60b9b3925aa411c855e6d94d3443
  • Medium 406332c6ab51ab04a13d02254abe3721
  • Medium b330d19c064bba39075230877c8229a5
  • Medium 6e0a25553e584bde8eb70850b2e2277f
  • Medium 2e6bd2cf0cd86d393fb1b59e22ca7594
Medium e02d7835c96833949f8bc2e2ee0b3b4cMedium 273d60b9b3925aa411c855e6d94d3443Medium 406332c6ab51ab04a13d02254abe3721Medium b330d19c064bba39075230877c8229a5Medium 6e0a25553e584bde8eb70850b2e2277fMedium 2e6bd2cf0cd86d393fb1b59e22ca7594