Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Investimentos em saneamento promovem qualidade de vida para sergipanos

A Deso investe, hoje, R$ 500 milhões de reais em obras de esgotamento sanitário em todo o Estado
08 de Abril de 2016 | 10:43

A Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) entrega de água tratada, nos parâmetros de qualidade estabelecidos no Ministério da Saúde, para 95% da população sergipana e executa um intenso trabalho para reestruturar a da rede sanitária do estado, com obras de implantação de sistemas completos de coleta e tratamento de esgotos domésticos.

“Já estamos bem próximos de universalizar o fornecimento de água tratada e, paralelamente, estamos ampliando o esgotamento sanitário. Ao expandir o sistema oferecemos uma maior qualidade de vida para a população”, diz o diretor de Meio Ambiente e Engenharia, José Gabriel de Campos. 

Atualmente, existem 17 obras de esgotamento em pontos espalhados por todo Sergipe. Há obras em processo de desenvolvimento nos municípios de São Francisco, Pacatuba, Itabí, Nossa Senhora do Socorro, Zona de Expansão, Lagarto, Itabaiana, Nossa Senhora das Dores e São Cristóvão; além da capital, Aracaju, onde a Deso já conta com 35% de cobertura e atende mais de 110 mil residências.

Mais saúde

Os avanços na estruturação do sistema de coleta e tratamento de esgoto resultam em queda nas taxas de internação por doenças diarreicas. Conforme dados da Vigilância Epidemiológica Estadual, nos últimos seis anos, o número de óbitos por doenças infecciosas intestinais reduziu 77%, saindo de 176 casos em 2008 para 40 casos em 2014, justamente no momento em que a Deso alcançou o marco de 1.762.535 pessoas recebendo água tratada e 324.011 pessoas assistidas pela rede de esgoto. No período, o número de internações por doenças diarreicas caiu 79% em todo o estado. 

“Quando o saneamento é feito de maneira adequada criamos um ambiente mais saudável. O esgoto in natura, disposto em ruas, galerias, rios e riachos cria problemas ambientais e expõe a população a vermes, bactérias, protozoários causadores de doenças graves e  colaboram para o aparecimento de  como ratos, baratas, mosquitos que também são vetores de doenças. Então os serviços que fazemos aqui estão muito relacionados à diminuição dos índices de doenças de veiculação hídrica em Sergipe”, explica o engenheiro ambiental e sanitarista da Deso, Erasmo Gomes.

De acordo com a Unesco (2013), a cada dólar investido em saneamento, um valor entre cinco e vinte e oito dólares são poupados das despesas com doenças. A Deso investe, hoje, R$ 500 milhões de reais em obras de esgotamento sanitário em todo o Estado. No quadro de compromissos da companhia, está a ampliação de 95% da cobertura de esgoto na região metropolitana. Até 2018, Aracaju será a segunda capital em cobertura da rede de esgoto, só perdendo para a cidade de Porto Velho, em Rondônia.

Meio ambiente

A contaminação por doenças de veiculação hídrica ocorre pelo contato direto com água ou solo poluído, como também por consumo de pesca, produtos agrícolas cuja água contaminada foi utilizada para irrigação e carne de animais que tiveram contato com o ambiente não higiênico. “Tratar a água antes de dispersar novamente na natureza é tão importante quando tratá-la para o abastecimento. O efluente não tratado polui também o solo, o ar e onera o tratamento da água que vai servir à população. É um ciclo”, destaca o engenheiro. 

Com a rede coletora de esgotos domésticos o esgoto das residências, separadamente da água da chuva. Em Aracaju, os dejetos de cada morador que se conecta a rede são encaminhados para as Estações de Tratamento de Esgoto da Deso, depois para as Estações de Recuperação de Qualidade. Só após receber o tratamento adequado o efluente é dispersado nos rios, em distância e profundidade que seguem os parâmetros determinados por legislação ambiental.

 

  • Medium 68a151f797a8df26c7cbad9ed59bf8d1
  • Medium 5a5694cf91dc0115834ad8ba6a4b617b
Medium 68a151f797a8df26c7cbad9ed59bf8d1Medium 5a5694cf91dc0115834ad8ba6a4b617b