Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Déda pede empenho de secretários no controle de gastos

Durante a primeira reunião com o secretariado, o governador disse que a situação financeira é difícil, mas garantiu que os salários dos servidores serão pagos em dia.
10 de Janeiro de 2007 | 00:17

Fotos: Márcio Dantas/ASNOrganizar e economizar. Essas foram as recomendações feitas pelo governador de Sergipe, Marcelo Déda, na primeira reunião com todo o seu secretariado e com o vice-governador Belivaldo Chagas, realizada na manhã desta quarta-feira, 10, no Palácio dos Despachos. O governador solicitou do primeiro escalão um diagnóstico preciso de cada pasta, como medida fundamental para enfrentar a atual situação financeira do Estado, e atenção absoluta aos decretos de contigenciamento de despesas. Marcelo Déda também garantiu que os salários dos servidores serão pagos em dia.

"Estamos vivendo um momento difícil, mas até o momento não há nada que ponha em risco o pagamento dos vencimentos do servidor público. Todos os esforços estão sendo feitos para que os servidores recebam em dia", disse o governador. Durante mais de quatro horas, Marcelo Déda examinou as medidas tomadas em cada pasta nestes dez primeiros dias de governo e orientou os secretários para reforçar o corte de despesas, a revisão de contratos e a renegociação de preços.

As medidas pretendem reduzir em 20% a previsão de gastos autorizados pelo Orçamento do Estado. "Pedi aos secretários que não relaxem no controle dos gastos de cada pasta, que avancem na redução de despesas e determinem, o mais rápido possível, a completa e total adequação de suas pastas às novas diretrizes estabelecidas para que depois possamos, de fato, investir", disse Déda.

Projetos

Marcelo Déda disse aos secretários que precisa do otimismo e do apoio deles para superar as dificuldades financeiras e colocar em prática os projetos para o Governo do Estado. "Independente do cenário financeiro, precisamos da elaboração de projetos, para serem tocados assim que resolvermos a questão de recursos", afirmou o governador.

Durante a reunião, o governador recebeu um relatório parcial da situação financeira da Companhia de Abastecimento de Sergipe (Deso). "Encontramos lá uma série de obrigações a serem pagas nessas primeiras semanas de janeiro e o caixa da companhia está sem condições de pagar. Temos problemas desse porte, mas vamos buscar resolvê-los", disse.

O governador solicitou, também, um registro fotográfico e de imagens da atual situação da frota de veículos, de hospitais, prédios e delegacias. "Vamos enfrentar os problemas. O que não podemos é abrir a guarda. Precisamos assumir a responsabilidade de mudar e consertar o que está errado", afirmou Déda.

  • Medium 7d72448460d32bcfda5c1418b012d154
  • Medium 2b4e8d0d9f9cf7e85be29a01d8548f6b
  • Medium 597f0a28b12474b45026586ea6cc2bca
  • Medium 7a1af812afceebdaab3ce417c26089c0
  • Medium f90730b1b1170dba100c302b318fe64b
  • Medium 03c07603c32764a97ce6bbd432e3c401
Medium 7d72448460d32bcfda5c1418b012d154Medium 2b4e8d0d9f9cf7e85be29a01d8548f6bMedium 597f0a28b12474b45026586ea6cc2bcaMedium 7a1af812afceebdaab3ce417c26089c0Medium f90730b1b1170dba100c302b318fe64bMedium 03c07603c32764a97ce6bbd432e3c401