Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Governador e movimentos sociais discutem ações de combate aos efeitos da seca 

Na ocasião, o governador garantiu às lideranças do campo que 80% das ações reivindicadas já estão sendo atendidas
22 de Março de 2017 | 19:49

O governador Jackson Barreto se reuniu na tarde desta quarta-feira, 22, com representantes dos movimentos sociais do campo, no Palácio de Despachos, para discutir medidas emergenciais que devem ser empreendidas pelo governo para amenizar os efeitos da seca. Na ocasião, o governador garantiu às lideranças do campo que 80% das ações reivindicadas já estão sendo atendidas pela gestão.

Após a reunião, o governador Jackson Barreto foi até à porta do Palácio e conversou diretamente com os manifestantes e explicou todas as ações que o governo de Sergipe vem executando para evitar um maior sofrimento para o homem do campo neste momento de prolongada estiagem.

Ele afirmou que 44 carros-pipas já foram disponibilizados para fazerem o abastecimento de água na região do Sertão e mais sete serão destinados a executar o mesmo trabalho dentro em breve. O governador relatou, também, que seis barragens da região do Sertão já foram recuperadas, do total de 12 que receberão o benefício neste ano, assim como os poços artesianos.

Jackson Barreto destacou que R$ 6,3 milhões já foram disponibilizados para aquisição de sementes selecionadas, de equipamentos de mecanização agrícola e palma. Na próxima sexta-feira, 24, será feita a licitação para aquisição de forragem para alimentação dos animais dos municípios do estado mais castigada pela seca.  Serão investidos R$ 7 milhões.

O governador aproveitou o encontro com os membros dos movimentos sociais para informar que, no dia 28 de abril, estará inaugurando a Escola Agrícola Dom José Brandão de Castro, em Poço Redondo, unidade de ensino que basicamente atenderá aos filhos dos trabalhadores rurais. Foi investido R$1 milhão. O governo também já investiu R$ 6 milhões com a instalação de dessalinizadores para oferecer água de qualidade aos moradores do Sertão.  

Ele ressaltou que vem atuando, através dos Projetos Dom Távora e Dom Hélder, financiados pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrário (Fida), para fomentar os arranjos produtivos nas regiões de menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) e assim gerar emprego e renda para os jovens nessas localidades. 
“Não ampliamos a nossa atuação porque é preciso agir em conjunto com as entidades da sociedade civil organizada e muitos municípios não contam com essas associações”, acentuou.

De acordo com o governador, dos R$ 90 milhões disponibilizados pelo Projeto Dom Távora, foram liberados somente R$ 20 milhões por carência de associações organizadas representativas de segmentos profissionais nos municípios contemplados. Outro ponto destacado por na reunião é a ação do Banco do Estado de Sergipe (Banese) junto aos quejeiros da região do sertão, liberando crédito de emergência para ajudá-los a atravessar o período de seca. Já foram liberados cerca de R$ 6 milhões.
  
“Quero mostrar que estamos trabalhando e que não estamos desligados deste grave problema que atinge os sertanejos. Se não fizemos mais, é porque não temos condições uma vez que estamos atravessando uma crise econômica sem precedentes”, afirmou Jackson Barreto.

O governador revelou que foi ele que buscou junto ao Governo Federal a liberação do milho estocado na Conab para ser distribuído e servir de alimento para os animais. De acordo com ele, ao se reunir com o ministro Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, este garantiu que o milho seria subsidiado, mas a burocracia ainda não deixou o grão chegar para os sertanejos. “A iniciativa de pedir a liberação do estoque da Conab para os agricultores salvarem seu rebanho foi nossa”, revelou.

O governador também revelou que ele retomou as negociações para retirar do papel o Projeto Canal de Xingó e lembrou que, na última semana, foi a Brasília se reunir com a bancada federal sergipana e pediu a união de todos para conseguir os recursos para construção da obra. Somente para a primeira das cinco etapas, o projeto está orçado em R$ 10 milhões.

A liderança Rafaela agradeceu ao governador o esforço que ele vem fazendo para minimizar os efeitos da seca, e reconheceu que a gestão está aberta ao diálogo. “Observamos que o senhor tem sensibilidade e disposição para ajudar”, concluiu.

Presenças

Participaram da reunião o vice-governador Belivaldo Chagas; o secretário de Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal; o presidente da Cohidro, José Carlos Felizola; a superintendente da Casa Civil, Conceição Vieira e o coordenador da Defesa Civil, coronel Mendes. 

  • Medium f7c102b23041b2fc63fdb4a0b141ff46
  • Medium 1cb441bd44bc7ed0393cc50d4ffd9c6f
  • Medium f14b7bbdbfc8aed05423693f5fc1748c
  • Medium 9b023d6eb7558330a2560dbe27324854
  • Medium 64978d1c054110dfcdf48605ef4c78ca
  • Medium d3bb25437ae0a65d5f99d26c46ca513a
  • Medium 5fde7d9dba0bf1a61ef7c75bd1576f45
Medium f7c102b23041b2fc63fdb4a0b141ff46Medium 1cb441bd44bc7ed0393cc50d4ffd9c6fMedium f14b7bbdbfc8aed05423693f5fc1748cMedium 9b023d6eb7558330a2560dbe27324854Medium 64978d1c054110dfcdf48605ef4c78caMedium d3bb25437ae0a65d5f99d26c46ca513aMedium 5fde7d9dba0bf1a61ef7c75bd1576f45