Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Grupo UT Riso leva alegria à unidade oncológica do Huse

Um trabalho social que é desenvolvido no hospital há quase vinte anos
12 de Fevereiro de 2019 | 14:07

O setor de quimioterapia do Centro de Oncologia do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), unidade gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), recebeu a visita do Grupo UT Riso, formado por voluntários que promovem o bem-estar de crianças e adolescentes que estão em tratamento contra o câncer. Fantasiados de palhaços, os estagiários Dr. Pipo, Dr. Bipolácios e a Dra. Risoleta (como são conhecidos os profissionais) promovem atividades lúdicas, amenizando a dor e transformando-a em alegria. Um trabalho social que é desenvolvido no hospital há quase vinte anos.

Segundo Fátima Bastos, uma das fundadoras do grupo, o projeto busca resgatar a essência da criança: a alegria. “Nós transformamos tudo aquilo que está acontecendo inerente ao ambiente hospitalar como tristeza, medo e dor. No momento que ela está em tratamento, é sempre muito doloroso para ela e seus acompanhantes e a nossa função é trazer um pouco dessa transformação. É importante que seja leve e que ela possa tirar o foco da dor para algo mais colorido e alegre que é a arte, a alegria e a música”, explicou.

Os palhaços interagem com os pacientes que logo se encantam e entram na brincadeira. A jovem J.S, 12,  em tratamento de quimioterapia, sorria e cantava junto com Grupo UT Riso, esquecendo por alguns instantes das medicações quimioterápicas que recebe. “Eu gosto de cantar e com a chegada deles anima muito o ambiente. Eles são muito engraçados e todo mundo gosta e canta junto”, disse a jovem paciente.

Quem acompanha os pacientes também acaba se contagiando com tanta alegria e diversão. “O ambiente muda de imediato com a música. Os pacientes gostam e cantam junto. Eles acabam esquecendo um pouco do tratamento e da doença. Muitas vezes já vi meu filho quieto e triste, mas, quando tem atividades aqui na Oncologia ele ganha força e consegue se divertir. Eu também acabo entrando na brincadeira”, destacou a dona de casa Mariana Santos, mãe de um paciente com leucemia e que está em tratamento contra leucemia.

Ao longo desses quase 20 anos, o grupo passou por algumas adaptações na equipe, mas nunca perdeu o ritmo das suas atividades e segue crescendo e conquistando a meninada internada. A receita ele leva para as crianças e adolescentes, além dos seus acompanhantes, é o amor pelo que fazem e a alegria.

 

  • Medium a61dc94a638a41f5d6a92b98a99bdf9b
Medium a61dc94a638a41f5d6a92b98a99bdf9b